Translate

sábado, 12 de setembro de 2020

de Anderlecht

ArqSP

Guido viveu entre os séculos X e XI, na Bélgica. Desde a infância, ele já demonstrava seu desapego dos bens terrenos. Ainda jovem deixa a casa dos pais e vai ser sacristão em uma paróquia perto de Bruxelas.

Quando ficou órfão, decidiu ser comerciante, pois teria mais recursos para auxiliar e socorrer os pobres e doentes. Mas após uma fatalidade, o navio com suas mercadorias afundou, ele decidiu definitivamente seguir a vida religiosa.

Guido vestiu o hábito de peregrino e pôs-se novamente no caminho da religiosidade, da peregrinação e assistência aos pobres e doentes. Percorreu durante sete anos as inseguras e longas estradas da Europa, levando conforto aos mais abandonados.

Depois de tanto andar, Guido voltou para sua terra, residindo na cidade de Anderlecht. Nesta cidade ele morreu, com fama de santidade. Com o passar do tempo foi erguida uma igreja dedicada à ele, para guardar suas relíquias.

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR  

Reflexão

São Guido é padroeiro dos sacristãos e cocheiros. Sua vida foi de inteiro desapego aos bens materiais e de busca da santidade. O pouco que ganhava doava aos pobres que encontrava nas suas andanças pela Europa. Suas maiores virtudes eram a caridade e o silêncio. Num mundo marcado pela pobreza, violência e desigualdades. A vida de São Guido nos inspira a lutar pela construção de uma nova sociedade.

Oração

Deus, nosso Pai, colocamos agora neste momento, sob a vossa proteção todo o nosso agir e todo o nosso viver. Caminhemos hoje buscando a vossa face de luz. Em tudo procuremos a simplicidade, a cordialidade, o bom senso, o bom humor, a alegria cristã, pois lamúrias e tristeza para nada servem. Procuremos mais ajudar que ser ajudados, mais servir que ser servidos, mais somar que dividir, mais ouvir que falar. Não faltemos com a cordialidade, o respeito, a sinceridade, sobretudo para com os que vivem juntos a nós. Por Cristo nosso Senhor. Amém!

https://www.a12.com/

Guido nasceu em Anderlecht, na região de Brabant, no seio de uma família camponesa pobre: a pobreza sempre foi a escolha do seu estilo de vida, que o acompanhou por milhares de quilômetros. Privando-se de tudo pelos outros, foi, com razão, considerado o precursor de São Francisco de Assis, a ponto de ser denominado "o pobre de Anderlecht". Canonizado em 1112, um século após a sua morte, caiu no esquecimento, por muito tempo, mas os prodígios, que se realizavam em torno do seu túmulo, recordam ao mundo a importância da sua figura.

De sacerdote a sacristão

Guido não tinha muito para si, mas o pouco que tinha o dava aos pobres. Em sua família de camponeses, sentia-se inútil. Por isso, deixou logo seus queridos para pôr-se a serviço de um sacerdote, na igreja de Mariansee, em Laken, não muito distante de Bruxelas. Ali, em contínuo contato com a pobreza e as necessidades humanas mais essenciais, decidiu abrir uma atividade comercial, não para seu ganho pessoal, mas para instituir um fundo, cuja renda seria destinada totalmente aos pobres da cidade. Mas, aquela não era a estrada que o Senhor havia escolhido para ele: Guido percebeu isso, quando o primeiro navio armado naufragou no porto fluvial de Bruxelas. Assim, deixou tudo e se vestiu com o hábito de peregrino.

Em viagem com o alforje

Por sete anos, Guido viajou pelas estradas da Europa, indo bem mais além. Durante suas viagens, dedicou-se à evangelização e a levar Jesus a todos os que encontrava, mas também dando pão aos famintos. Muitas vezes e de bom grado até se privava do necessário, enchendo sua de terra, para não mostrar a sua indigência; porém, o Senhor o recompensava, enchendo-a novamente de pão. Assim, em suas viagens, visitava os maiores santuários do cristianismo, chegando até à Terra Santa, como fez o Pobrezinho de Assis, dois séculos depois. Ao regressar, passou por Roma, onde encontrou o decano de Anderlecht, que, em seu leito de morte, o encarregou de continuar a anunciar a Boa Nova. De volta para casa, Guido chegou cansado e doente. Pouco tempo depois, voltou para a Casa do Pai. Hoje, seus restos mortais descansam na igreja Colegiada da cidade.

Vatican News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pe. Manuel Pérez Candela

Pe. Manuel Pérez Candela
Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição - Sobradinho/DF